Menu

terça-feira, 19 de maio de 2015

Crônica de um Amor Louco: Ereções, Ejaculações e Exibicionismo - Charles Bukowski


 LIVRO - Crônica de um Amor Louco: Ereções, Ejaculações e Exibicionismo


Título: Crônica de um Amor Louco: Ereções, Ejaculações e Exibicionismo.
Título Original: Erections, Ejaculations, Exhibitions and General Tales of Ordinary Madness
Número de Páginas: 320
Autor: Bukowski, Charles
Editora: L&PM Pocket

      Crônicas de um Amor Louco é a primeira parte de um volume de contos e prosas de Charles Bukowski. Em boa parte do livro o autor descreve e relata vários assuntos já conhecidos de seu público (bares, álcool, mulheres, brigas, corridas de cavalos e empregos). Em meio a tudo isso, Bukowski introduz tema que não são tão recorrentes em seus livros, temas pesados e cruéis - como assassinatos, sequestro, maníacos, drogas pesadas, entre outros - que fazem o leitor refletir se saiu de uma mente deturpada por drogas e alcoolismo ou por apenas um homem que expõe os seus pensamentos mais sombrios e reais. O livro é divido por contos, cada conto tratando de um tema diferente. O que mais surpreende neste livro é que o autor não segue uma linha lógica e cronológica - relatando, por exemplo, corridas de cavalos e empregos em um conto e no conto seguinte assassinatos brutais e sádicos, rapto de cadáveres e pedofilia, para depois retornar para corridas de cavalos e empregos.

      Em um dos contos, Bukowski utiliza de um humor ácido para debochar do sistema atual, onde uma pessoa se vê obrigada a trabalhar a vida inteira para gastar seu dinheiro com bens de consumo descartáveis. Mas no fim, a pessoa acaba não tendo tempo de aproveitar nada do que comprou e nem da vida em si deixando para seus herdeiros, esperando que tenham uma vida melhor do que tiveram.

      - Viu, ele se identifica com todos os derrotados. [...] foi logrado com esse papo de alma e é desse modo que a gente prende o rabo deles. alma não existe. é pura cascata não existem ídolos é tudo onda. Não existe ninguém vitorioso na vida, é pura cascata. papo furado. não há santos nem gênios, tudo não passa de conversa mole para boi dormir, conto da carrocinha, só pro jogo continuar. cada homem se esforça para sobreviver e ter sorte, se puder. o resto não dá para engolir.


      Sem meias palavras, Bukowski discorre o que tem de mais vil, insano e sujo em sua mente. Um livro cruel e brutal recomendado para os fãs do velho Bukowski e para quem tem estômago forte. Não é apenas um livro de prosa, é o relato de uma mente deturpada por álcool e outras drogas, indispensável para qualquer apreciador deste grande escritor.  


Resenha escrita por Guilherme

Nenhum comentário:

Postar um comentário